Friday, July 06, 2007

Estrelas mudam de lugar

Vou dizer-lhes algo que, nem em meus pensamentos mais delirantes, imaginei ser possível:

FUI A UM SHOW DO ROBERTO CARLOS.

Fui porque era um evento beneficente. E o mais surpreendente disso tudo é que eu sabia as letras das músicas e cantei junto com a platéia que lotava o Teatro Municipal anteontem, o que prova que o aprendizado por osmose é uma realidade. O repertório incluía apenas aqueles clássicos que meu pai sempre ouve (e toca ao violão!) lá em casa. Para minha sorte ficaram de fora as canções recentes (homenagem à mulher gorda, de óculos, baixinha...) e as “maria-ritices” chatíssimas que ele tem gravado.

O resumo? Roberto Carlos é simpático e doce, não é feio como na TV e não desafina nunca, pasmem. Ele parou com a mania de não cantar certas músicas e não pronunciar determinadas palavras por superstição; disse que a terapia está dando um jeito no TOC (vejam, hereges, como a Psicologia funciona!). Seu show, apesar da boa estrutura, foi perfeito porém frio. No meio do palco, tinha um baita piano de cauda – branco e brega. Ao final do espetáculo, ele passou muito mais tempo do que necessário jogando zilhões de rosas, beijadas uma a uma, para as senhoras da high society que se descabelavam querendo pegá-las.

3 comments:

Wagner said...

Realmente, nunca pensei que ia ouvir/ler essa "notícia", mas, pelo visto, você sobreviveu e muito bem ao show.
Posso até parecer preconceituoso no que vou dizer, mas creio que nem nos meus pensamentos mais delirantes assistirei a um show do RC.
Em todo caso, você deu "sorte" na escolha que ele fez do repertório... Piano de cauda branco? Isso ainda existe?!?!

Carla said...

Hohohoho! Nao acredito... Minha mae me honraria com medalha de melhor filha do mundo se eu fosse com ela a um show dele. Deus me livre.

Lys said...

Wagner, não se incomode em parecer preconceituoso: neste caso eu compreendo perfeitamente o que você sente, ainda mais sabendo que você não aprecia música popular.

Carla, faça um denguinho para mamã! Se você vier em fevereiro do ano que vem, pode levá-la para um cruzeiro pela costa brasileira e assitir a um show do Rei a bordo. Ói, que chique! ;)

Na verdade, para mim não foi um caso de "Deus me livre" como seria ir a um show de uma dupla sertaneja, do Wando ou do Latino, por exemplo. Tem certas canções - antigas - do RC de que eu até que gosto, confesso. Só que nunca, em outras circunstâncias, teria comprado ingressos e ido. Há coisas que só acontecem uma vez, em situações especialíssimas, e essa foi uma delas.