Thursday, June 21, 2007

Longe do comercial de xampu

Eu acho engraçado quando as pessoas me dizem Mudou o penteado! como se isso fosse uma opção minha. Nunca é. É ele, o cabelo, quem manda. Se eu mudo o penteado, ou seja, prendo o cabelo, é porque, de outra forma, não haveria como sair de casa.

Na hipótese de eu ter que escolher entre ficar rica ou ter um cabelo bonito e obediente, juro que eu ia ficar na dúvida.

11 comments:

Carla said...

Mas ficando rica, beibe, voce pode ter o cabelo que quiser. Hehehe.

Isadora A. said...

concordo com a carla.
as mulheres, normalmente, escolhem a segunda opção. vc já viu o preço de uma escova progressiva !?!?!?!!

(eu escolhi uma 3ª: estudar na FFLCH e esquecer dos conceitos básicos de "cabelo" e "bonito". é BEM mais simples!)

adorei o blog !

Lys said...

Na, na, ni, na, não, Carla! Sendo rica, eu posso ter o CABELEIREIRO que eu quiser apenas, e definitivamente não é isso que eu quero - depender eternamente de artifícios. Sabe o que eu queria? Poder sair de um dia na praia, tomar uma banho e ir a um casamento, por exemplo, e parecer ter saído do salão de beleza sem isso tivesse sequer passado pela minha cabeça (literalmente também).

Isadora (ai, que nome mais lindo, meu Deus!), eu escolheria ser rica, lógico, mas com um certo aperto no coração. E olhe, eu também escolhi estudar, vivo fazendo isso. Letras não fez com que eu convivesse melhor com esses conceitos, Psicologia também não. Desejo-lhe melhor sorte!

Bom fim de semana procês!

Daniele said...

Lys, meu cabelo também me odeia. E pior, a minha irmã tem o cabelo dos nossos sonhos. Já acorda impecável, enquanto eu pareço uma fugitiva de manicômio judiciário. Eu morria de inveja quando a gente era criança, hoje posso dizer que superei. Só não admito quando ela reclama que não pode prender o cabelo que qualquer coisa escorrega, pode? É muito perua.
Engraçado que eu sempre imaginei vc de cabelo liso, vai ver que vc tem cabelo liso na alma. ;-)
Desculpa, mas eu tô meio boba hoje.

Lys said...

Daniele, temos em comum, além de um cabelo "nervoso", uma irmã de cabelo lindo. Na verdade, somos três e todas tínhamos cabelos lisíssimos quando crianças. Em algum momento da minha adolescência, meu cabelo se rebelou e ficou horroso. O mesmo aconteceu com a minha irmã do meio, mas a caçula foi agraciada com a não-mudança. Eu não tenho inveja, mas fico dizendo a ela o quão sortuda ela é por ter um cabelo que não precisa de cabeleireiro.

Você me imaginava de cabelo liso? Ai, que máximo! Continua, continua! Eu vivo fazendo escova mesmo... ;)

Wagner said...

Pois meus cabelos (ou o que restaram deles) me odeiam tanto que simplesmente abandonam o couro cabeludo em massa! E acha que os tratamentos capilares/dermatológicos (caríssimos) resolvem alguma coisa? Muitíssimo pouco.
Não é exatamente o "seu" problema — e espero que nunca seja! —, mas não consegui evitar pensar no meu (triste) caso diante do seu...

Lys said...

Wagner, de fato, meu problema não é falta de cabelo, muito pelo contrário. Perder cabelo deve ser desesperador, mas para homens em tudo se dá um jeito: não é que virou moda raspar a cabeça e apostar no charme dos carecas? Afinal, é deles que "elas gostam mais". ;)

Marcos said...

Bobinha, rica você compraria o cabelo que quisesse.

Suzana said...

Atrasada, mas aqui vai: eu tenho muuuuito cabelo, liso. Foi pesadão, daquele tipo "lava com detergente de pia e fica leeeeeeeendo". Bom, comecei a ter fios brancos, passei pela henna, tonalizante e hoje eu pinto. E ele ficou ressecado que dá dó. Então hoje eu me consultei com uma especialista (a Renata, Lys! A menina é uma especialista!!!!! E não pe clichê!) e o meu cabelo está voltando a ser o que era: obediente, brilhante. Porque sim, eu cansei de sair de casa como se fosse a raptora das minhas filhas: descabelada, suada, casaco do avesso. Pelo menos agora eu sou uma raptora de cabelo ma-ra-vi-lho-so.
Minha filha mais velha herdou meu cabelo - muito e grosso. Minha caçula herdou o cabelo do pai: fino e muito. E nada segura naquilo - eu botava lacinhos grudados com sabão. E ela, tadinha, ouvindo a descerebrada da amiguinha dizendo que ia fazer chapinha, chorou sentada no pátio da escola: "Eu também queeeeeeerooooo!!!"
Jesus...

rosangela said...

hahahaha.... adorei o post. Esta é uma tortura sem tregua... rindo muito...
abraço pro 'cê.

Lys said...

Marcos, vou lhe dar a mesma resposta que dei para a Carla: com dinheiro, não se compra o cabelo que quiser, apenas o CABELEIREIRO, e isso, Marcos, não resolve o meu problema; eu quero um cabelo NATURALMENTE lindo.

Suzana, criança fazendo chapinha! Deus do céu! Espero que tenha sido mentira da amiga da sua filhota.

Eu sei cabelo liso não é sinônimo de cabelo bonito. Não vê como a Glória Pires anda parecendo uma mulher das cavernas na novela das oito? Credo! Eu não faço questão de liso, faço questão de comportado, com cara de tratado, mas sem precisar me esforçar correndo atrás de fórmulas mirabolantes. A Renata tem toda a minha admiração: usa maquiagem (até blush!) todo dia e vive tratando do cabelo. Eu não nasci para isso, infelizmente. Eu quero é praticidade!

Rosangela, a gente ri, mas tem vezes que tenho vontade de chorar de raiva! ;)

Beijocas para todos!