Thursday, May 31, 2007

Um certo mau humor outono-inverno

Não vou negar que um friozinho é bom para mudar um pouco a paisagem (e a vida, por tabela), mas, sinceramente, se o outono está assim, o que devemos esperar do inverno?

Eu acordo de manhã e pulo da cama, porque não acho produtivo ficar adiando o momento doloroso do abandono dos cobertores. Mas não adianta nada, não “ligo”. Sigo para o banheiro feito um zumbi e perco o olhar no fundo do espelho, encostada à parede, como se meu corpo não me pertencesse. Banho, de manhã, nem pensar, me contento com apenas um, antes de dormir. Imagine sair com o cabelo molhado neste frio ou, pior, acordar mais cedo para usar o secador!

A garagem lá em casa é no andar de baixo. Você vai descendo as escadas, e a temperatura vai baixando a cada degrau. No verão, isso é maravilhoso, mas agora a sensação é de estar entrando nas profundezas de uma masmorra medieval.

O termômetro da prefeitura perto de casa mostra invariáveis 15°C quando eu passo por ele de manhã e à noite.

As roupas quentes não dão vazão, simplesmente porque, depois de lavadas, não secam por nada. Vou ter que comprar uma secadora de roupas em pleno Rio de Janeiro? Era só o que faltava! Mais um aparelho consumindo a energia que o planeta pode usar de outras formas? Tento ser ecologicamente correta e me recuso (por enquanto), afinal, se chegamos a estas mudanças loucas no clima, foi justamente porque não pensamos do dia de amanhã e desperdiçamos, usamos errado e poluímos tudo o que era possível.

E a chuva? Um amigo inglês já me chamou atenção para o fato de que cariocas não sabem usar guarda-chuvas. Segundo ele, a gente perde o senso de equilíbrio e de espaço, enfia as varetas nos olhos dos outros e não sabe o que fazer depois com o bicho fechado e molhado. Não sei se isso é uma particularidade nossa, mas que é chato carregar aquilo para cima e para baixo, não há dúvida.

Não se pode negociar? Eu proponho o seguinte:

1) Que os dias sejam de sol;
2) À noite, pode até esfriar bastante;
3) Chuva, só de madrugada.

10 comments:

Wagner said...

Pois eu estou gostando do frio: enfim um clima civilizado!
Quanto ao uso do guarda-chuva... bem, seu amigo disse o que disse porque não me conhece: sou expert em usar o apetrecho (mas reconheço que a maioria não tem o menor know-how).
E não se iluda de que o inverno poderá ser mais frio: é bem provável que, como nos anos anteriores, ele se restrinja a 2 ou 3 dias — isso se ele chegar a existir...

Suzana Elvas said...

Eu me lembro de uma tirinha do Hagar, o Horrível, que era assim:

Chegam ele e o Edie Sortudo numa aldeia inglesa. Está chuviscando.

- Onde estará todo mundo, Hagar?
- Sei lá. Vamos perguntar para aquele velhinho.
- Senhor, onde está todo mundo?
- Ah, meu filho, num dia lindo como esse tá todo mundo na praia.

Suzana Elvas said...

Eu tomo dois banhos de manhã. Um de gato, ainda tomando uma caneca de café, e quando chego no meu "escritório" - um banho escaldante de uns 20 minutos, num chuveiro que parece um Niágara pós-aquecimento global.
Estou lavando as roupas na casa da minha mãe, onde seca tudo. As toalhas eu deixo esquentando atrás da geladeira - ou ponho pra assar de manhã, em forno médio, enquanto as meninas tomam café.
Carácoles. Não dá, não.

Carla said...

Eu nem vou falar nada, viu? Nem vou comentar... voce reclamando do friozinho do Rio de Janeiro e eu so rindo. Janeiro chega por aqui de novo, ele sempre vem, nao falha nunca.

Lys said...

Wagner, eu sabia que alguém ia me sair com essa de "clima civilizado"! Eu já disse outras vezes e temo ficar repetitiva: o frio, quando dura muito tempo, me deixa mais encolhida e melancólica, quase triste. E eu acho que você está enganado: pode não ter sido suficiente para você, mas ano passado o inverno durou bem mais do que dois ou três dias. Se eu for fuçar meus arquivos, tenho certeza de que vou encontrar uma postagem mau humorada minha sobre o tema.

Você tem classe e know-how com o guarda-chuva? Preciso de você como prova para salvar a imagem dos brasileiros nas terras britânicas! Eu reconheço que sou um terror.

Suzana, o Wagner devia morar nessa aldeia inglesa da tirinha!

Banho escaldante eu tomo às onze da noite; se for fazer isso de manhã, corro o risco de pegar uma pneumonia ao chegar na garagem-congelador.

Ha, ha, eu me lembro de uma experiência meio desastrosa sua com o forno e umas calças jeans das meninas! Nunca ouvi ninguém dizer que põe as roupas no forno, além de você. Atrás da geladeira eu já me aventurei, mas quando o volume é grande - e lá em casa sempre é - é preciso esperar um dia de sol e começar o serviço bem cedo. Neste tempo, o sol fraco da manhã que bate no meu quintal não ajuda muito.

Lys said...

Carla, não há comparação, eu sei. Seu sofrimento é maior, mas, por outro lado, você está mais "equipada" para encarar o inimigo. Além de estar mais acostumada, você certamente tem aquecedores e secadora de roupas em casa, não é?

fezoca said...

Lys, eh tudo mesmo uma questao de "equipamento", tanto de infra qto de proper gear. Qdo o inverno eh estavel, isto eh, faz frio o tempo todo, nao tem muito o que reclamar. O duro eh esse esfria-esquenta dai, que eu nao entendo por que acontece. Boa sorte com o invernao carioca! ;-)

Btw, esses seus 15C ai, sao as minhas manhas de primavera... ;-)

bjo!

Daniele said...

Lys, concordo totalmente com você, que frio é esse? Prum clima tão tropical como o nosso, menos de 18ºC é congelador atômico. Eu morava até bem pouco tempo na Baixada e, em toda a minha vida, só 2 ou 3 vezes eu senti tanto frio assim. As suas propostas deveriam virar lei. A gente não sabe usar guarda-chuva; sabe usar sol!
PS: As tirinhas do Hagar são muito legais.

Suzana Elvas said...

Hei, não foi mal-sucedida, não! Foi muitíssimo bem-sucedida - e por isso (infelizmente) repetida vezes sem conta no inverno.

Experimenta: liga o forno uns dez minutinhos, só, e põe as toalhas lá dentro. De-lí-ci-a.

Lys said...

Fer, é justamente a oscilação de temperatura o que mais me incomoda. Um dia faz calor, no outro, frio; não há quem agüente! Nosso inverno é movido a frentes frias e, quando elas passam, o que é que tem? Bafão!

Daniele, nós não agüentamos, não é? Menos de 18ºC não dá. Eu tenho um primo que morou uns tempos no Rio Grande do Sul e que ficava admirado de ver o pessoal se arrumando animadão para ir para a piscina enquanto ele mesmo estava vestido de moletom!

Suzana, eu jurava que uma vez tinha dado errado a história do forno!