Wednesday, May 23, 2007

Pó, lama, mofo e a criatura cheia de frescuras

Com raríssimas exceções, não gosto de coisas velhas. Não gosto especialmente de livros velhos. O prazer de um livro para mim está em um bom texto impresso em páginas incólumes e com suave odor de papel novo. Nem sempre, porém, é possível conseguir essa "conjunção astral".

Eu preciso ler este livro, que está esgotado (nem link para a edição em português existe mais), então tive que comprar um usado. Como não tenho tempo para fazer peregrinação pelos sebos da cidade, fiz uma compra via internet. Big mistake! Apesar de ter custado uma pechincha, o exemplar, que me garantiram estar em bom estado, está repulsivo. As páginas estão todas no lugar, é verdade, mas há manchas de mofo e de um líquido qualquer que me parece água suja, como se alguém tivesse deixado o livro cair em uma poça lamacenta. Desnecessário mencionar o cheiro de pó característico, não?

Agora eu estou num dilema: faço uma cópia do livro todo (mesmo infringindo a lei de direitos autorais) ou compro luvas cirúrgicas para manusear aquela nojeira?

8 comments:

Wagner said...

Eu, como você deve se lembrar, penso de modo totalmente diferente do seu: além de não me importar muito com o estado de um livro usado (desde que ele esteja legível claro) ainda me delicio nessa espécie de "restauração livreira". Dependendo do estado de livro, tenho o maior prazer em limpar folha por folha, capa e lombada. Se a capa está muito "destruída" ou é feia demais para meu gosto eu encapo o exemplar com os papéis marmorizados feitos por mim... Gosto dos livros não apenas pelo conteúdo que possuem, mas também pelo objeto no qual se constituem. Enfim, cada qual com suas manias.
Se o tal livro é imprescindível (para a faculdade?), espero que você encontre um jeito de torná-lo menos “repelente”.

p.s. Você comprou o livro por meio de que site? Já conhece a Estante Virtual? Já fiz compras por lá e fui muito bem atendido (será que dei sorte?)

Marcela said...

Hum, eu sou super alérgica. Acho que tiraria uma cópia do livro. Sei que é triste, mas comigo não teria jeito mesmo! Ia ficar espirrando por uma semana. Beijos

Lys said...

Wagner, como é que você limpa folha por folha? É preciso algum cuidado especial? Estou pensando no seu conselho sobre tornar o livro menos repelente.

Sim, a leitura é para a faculdade e eu fiz a compra justamente pela "Estante Virtual". O site é ótimo, localizou o que eu queria rapidamente. O problema é que são vários vendedores, não há como controlar a qualidade. Talvez fosse uma boa idéia se eles padronizassem a qualificação do que vendem, pois "em bom estado" pode significar uma coisa para mim e outra para você, por exemplo.

Marcela, eu também tenho alergia, mas, para mim, pior que o espirrar é o nojo de tocar. ;)

Carla said...

Lys, eu sou a mesma coisa. Odeio coisa suja, velha e empoeirada. Mas pense um pouco na arvore que voce vai salvar se nao fizer a copia do livro...hehehe. Parece-me que as luvas seriam bem uteis. Beijo!

Suzana Elvas said...

É, flor. Feia a coisa. Como eu AMO livro velho (se tiver dedicatória melhor ainda) vou dar uma busca com os meus contatos e ver se acho um exemplar seminovo procê.
O Submarino está vendendo (ainda está no catálogo da Imago) mas liguei para a editora e o que o editorial me disse é que deve sair uma nova edição - mas não há nenhuma previsão de quando.
E está esgotado, mesmo. Ainda perguntei se eles têm algum exemplar sem código de barras (dos velhos, que não podem mais ser vendidos em livrarias, mas ainda novinhos) e necas.
Te doi notícias, ok? Você tem que ler o livro até quando?
Bjs

Lys said...

Suzana, o Submarino não estava vendendo semana passada. E agora estão dando 15 dias como prazo de estrega (sujeito à confirmação do fornecedor), ou seja, não têm em estoque. Fico no aguardo de melhores perspectivas vindo de você!

Carla, vai me imaginando de luvas cirúrgicas em plena sala de aula de um curso de psicologia: corro o risco de me mandarem direto para o manicômio!

Wagner said...

Lys, eu limpo as folhas com um pincel chato (e seco) de cerdas não muito macias — geralmente as páginas ficam mais sujas junto da costura. A capa, se for plastificada, pode ser limpa com um chumaço de algodão embebido em algum produto de limpeza (tipo Veja). O mesmo algodão pode ser passado ligeiramente nas bordas, depois de passar o pincel seco. Não sei se vai resolver o caso do seu livro, pois isso depende do real estado dele. Com os meus, tal processo funciona satisfatoriamente. Mas, como você mesma disse, o que pode ser satisfatório para mim pode não sê-lo para você.

Lys said...

Wagner, pincel em todas as páginas... Eu pensei que fosse algo menos trabalhoso, como fazer o mesmo procedimento mas com uma flanela, por exemplo. Vou tentar essa adaptação preguiçosa. Gostei do algodão com Veja nas bordas. Na verdade, o bom seria poder borrifar todas as páginas com desinfetante! :)

Acredite fiquei o fim de semana todo de bobeira em casa e não tive coragem de pegar no livro!