Tuesday, June 12, 2007

Só um dia como outro qualquer

Se hoje fosse dia do soldado, eu ia ficar triste porque não sou soldado? Não.

Se hoje fosse dia da árvore, eu ia ficar triste porque não sou árvore? Não.

Então, por que as pessoas acham que eu tenho que ficar triste no dia dos namorados? Arfe, que nóia, heim! Mas uma moça tão bonita [adoro essa parte de “moça”] vai ficar sozinha hoje? Sozinha, não. Vou ficar com mais um monte de gente no trabalho, na faculdade e em casa. Tá bom para vocês?

9 comments:

Suzana Elvas said...

Pois é... E o pior é que é assim: todo mundo te cobra você ser boa mãe E boa profissional E boa dona-de-casa E boa amiga. E depois de expandir a memória do seu HD até o limite que caibam todas as informações acumuladas nos quatro campos de conhecimento aí de cima todo mundo te pergunta porque diabos você ainda não achou o Quinto Elemento - um namorado.

fezoca said...

ue saco esses convencoes... eu nunca comemorei dia dos namorados, acho meio cafoninha... ;-)

bjos!

Carla said...

Lys, a Fer tem toda razao, dia dos namorados e cafona.

Thata said...

A-DO-RO!!
vou repetir isso hoje ainda! :P
muito boa, lys!
e tô com a Fê...dia dos namorados é cafoooona (assim como as cartas de amor heheh)
bj!

Marcela said...

Eu tb não gosto muito de dia dos namorados não. Acho meio cafona esse negócio de trocar presentinhos inuteis em um restaurante qualquer...

Bruna said...

Oi Lys! Não te conheço pessoalmente mas sempre passo por aqui porque gosto muito da forma que vc vê as coisas e na facilidade que vc tem de passar isso para o papel (virtual). Adorei esse post! As pessoas sempre te perguntam: "Você não está namorando??? Por quê?". Eu gostaria de saber porque ninguém pergunta para quem que esteja: "Por que vc está namorando?" Como se a condição anormal fosse estar solteira. Por que eu não posso estar sem namorado? Por que eu só seria feliz se estivesse com namorado? Eu nunca me sinto sozinha, tenho amigos, tenho família. Não consigo entender essas convenções da sociedade. As pessoas acham que a vida é um comercial de margarina. Coitadas... Beijos!

Wagner said...

Nem me fale!
Realmente essa "questão" se agrava no tal dia — como se ter um namorado (ou namorada) fosse receita de sucesso e/ou felicidade e/ou normalidade.
Evidente que isso não significa ter que se abster do amor & cia. Mas por que isso teria de ser um PADRÃO a que todos devessem se submeter?
As pessoas ainda precisam evoluir muito...
Aqui no seu blog, pelo visto, só tem gente "evoluída" (he he he).

p.s. E você ainda é "moça" e "bonita"! Imagine que não é nem uma coisa nem outra...

Wagner said...

Corrigindo:
E você ainda é "moça" e "bonita"! Imagine QUEM não é nem uma coisa nem outra...

Lys said...

Suzana, imagine o que eles me cobram, já que nem filhos eu tenho, para poder exercer o cargo de "boa mãe". A solução é fazer ouvidos de mercador para essa gente que não tem o que fazer além de tomar conta da vida dos outros.

Fer e Carla, nem vou entrar aqui na questão da cafonice, porque, quando se trata de relacionamento amoroso, cafonice é só o que a gente faz. É aquela velha história de todas as cartas de amor serem ridículas de que falou o poeta e que a Thata lembrou muito bem.

Marcela, o melhor dia dos namorados deve ser mesmo o daquelas pessoas que podem se dar ao luxo de ficar em casa, juntas, fazendo o que bem entendem (ver um filme, comer comida congelada, ler, sei lá). Acho tão absurdas as filas em todo lugar.

Bruna, seja bem-vinda! Eu também me sinto muito bem sozinha. Na verdade, é tão raro eu conseguir ficar sozinha que, quando acontece, parece que ganhei presente! Namorado é ótimo quando a gente está no relacionamento porque quer e não porque "pega mal" ficar sozinha.

Wagner, é justamente a obrigação de me encaixar nos padrões de "normalidade" que me irrita.

E cá pra nós: nem tão moça, nem tão bonita. Acho que eles falam isso como uma tentativa de me consolar. Lá no fundo eles devem estar pensando "Ah, coitada da encalhada! Nessa idade e sem namorado!" ;)