Wednesday, September 05, 2007

"Canta, ó, musa, a ira de Aquiles!"

Não satisfeito em me chamar de “mozinho”, meu caro colega me mandou um e-mail com um anexo. O tal anexo, dizia o texto do e-mail, era uma "poesia" que ele havia escrito para mim.

Medo. Oremos.

Evitei abrir o anexo; na verdade, queria deletar tudo sem ler. Aquilo que virou moda chamar de vergonha alheia tomou de mim em antecipação ao que meus olhos estavam por encontrar. Mas não podia simplesmente fazer isso, pois sabia que ele ia me interpelar na faculdade hoje sobre o assunto. Porque as pessoas, vocês sabem, não têm simancol. E são ousadas. Elas sabem que eu sou formada em Letras. Elas sabem que eu sou terrivelmente crítica, até comigo mesma. E, mesmo assim, elas me escrevem poemas, que chamam candidamente de poesias.

Isso acontece comigo desde os treze anos e é um fenômeno inexplicável. Se eu fosse linda, ou gostosona, ou simpática, vá lá. Mas eu não sou. A única explicação plausível é que exista uma lei da Física que Newton não formulou: “A capacidade de atrair pessoas que escrevam poemas em sua homenagem é diretamente proporcional à sua aversão pelo fenômeno.”

Mas, voltando...

Contrariada, abri o anexo. Era praticamente uma ode à minha “beleza”. Uma ode bem ruim. Escrevi um agradecimento meio seco e enviei. Dizem que, para bom entendedor, meia palavra basta. Espero sinceramente que isso seja verdade.

Já disse e repito: artistas (bons ou ruins): não quero as suas sensibilidades e sutilezas por perto. A poesia que me interessa eu mesma procuro. Em matéria de amor, a experiência me mostra que só os homens práticos, cartesianos me fazem feliz.

7 comments:

fezoca said...

cantada com poesia eh sinal vermelho piscando: fuja, Lys, fuja! Pernas pra que te quero. :-)

beijoo,

Carla said...

Hahahaha!!!!! Morrendo de rir...

rosangela said...

O mais legal disto tudo é que você sabe bem o que você quer... dizem, isto é meio caminho andado...
Mas que eu ri, eu ri. :)

Renata said...

eu tenho um meeedo de receber um poema. mas um meeedo...

Lys said...

Fer, já estou fugindo, até de conversa a dois (seja lá qual for o tema) com ele estou fugindo. Tenho pavor!

Carla, você ri, mas é sério! :)

Rosangela, seria meio caminho andando com pessoas normais; no meu caso, não ajuda muito porque o que eu quero SIMPLESMENTE NÃO EXISTE! ;)

Renata, posso garantir que seus medos não são infundados. Eu corro disso mais que o diabo da cruz, mas não adianta, eu devo estar emitindo os sinais errados para o universo! Rorrô!

rosangela said...

Ah, Lys, assim não vale. Se você sabe o que você quer tão certinho, tem tb de acreditar que existe. Caso contrário não dá mesmo... Quem sabe existe e você não conhece, nunca viu, nem ouviu falar? Não quer dizer que não existe. Existe de tudo nesta vida. :)

Lys said...

Rosangela, no fundo eu fico torcendo para que exista, mas não sou muito otimista. Cada vez mais vejo que é melhor manter os pés no chão.