Thursday, September 13, 2007

Leia o livro, veja o filme e ouça o livro

I wonder who first discovered the efficacy of poetry in driving away love!

I have been used to consider poetry as the food of love, said Darcy.

Of a fine, stout, healthy love it may. Everything nourishes what is strong already. But if it be only a slight, thin sort of inclination, I am convinced that one good sonnet will starve it entirely away…

Jane Austen em Pride and Prejudice



Pois é, as coincidências. Preciso dizer o quanto eu ri ao ouvir isso logo após escrever aquele texto sobre o fatídico poema?

Pela primeira vez, estou ouvindo um audiolivro*. Não por acaso, escolhi um que já havia lido antes. Não vou discorrer novamente sobre o meu apego às obras da Jane Austen, dona de um imenso talento para expor o ridículo da sua época com a mais fina ironia. Venho ouvindo no carro e gargalhando muito enquanto os outros motoristas ficam me olhando como se eu fosse doida. A história, embora nada inédita para mim, é tão divertida!

Empolgada com a novidade, cheguei a procurar audiolivros brasileiros, mas, pelo jeito, são horríveis. O narrador da obra cujo trecho eu ouvi é artificial e pomposo. Não sei se é assim para outros livros (não tive paciência de ouvir outros), mas acredito que ficarei restrita à minha primeira e única aquisição.


*áudio-livro?

9 comments:

Carla said...

Ui, Lys! Audio livro eu nunca encarei nao. Nao consigo conceber a ideia de ler sem segurar o livro em minhas maos. Ainda. Depois, eu nao sei dirigir sem musica.

Lys said...

Carla, pode ter certeza que o livro de papel sempre será meu favorito também. Esta foi apenas uma experiência - bem-sucedida, é verdade - que não vou estender à compra de outras obras.

Dirigir sem música é chato, aliás, percebi um dia destes que até mesmo uma caminhada na beira da praia fica mais prazerosa com trilha sonora - particularmente selecionada por mim, of course, e colocada no mp3 portátil.

rosangela said...

Eu adoro livro de papel. Ainda são os meus preferidos. Mas tenho escutado muitos audio-livros também. Os daqui acho primorosos. Dá gosto mesmo. Mas escuto quase que somente quando me ocupo com as mãos. Quando estou fazendo bolo por exemplo. E aqui tem uma bolsa de troca de audio-livros pela internet. Funciona perfeitamente. Eu participo e adoro. Sempre tenho livros novos à disposição.

Lys said...

Rosangela, pelo pouco que ouvi do livro brasileiro, não creio que os nossos áudio-livros sejam bons o suficiente para gerar um número razoável de interessados nessa mídia, o que inviabilizaria a formação de uma bolsa de trocas, idéia que achei muito interessante. O que estou ouvindo é americano e consiste apenas na leitura do texto por uma (boa) atriz; não há efeito sonoro de qualquer tipo, o que eu acho ótimo. O livro brasileiro que eu ouvi começava com uma musiquinha (blerg!) e a voz do locutor/leitor era pomposa, o que tornava tudo ainda pior. Não há como gostar daquilo. Como são os áudio-livros alemães?

Wagner said...

Ainda não experimentei, mas confesso que não me sinto muito tentado. Sobretudo porque, imagino, o ritmo do locutor/leitor sempre será diferente do meu. Nos livros convencionais, dependendo do texto, eu divago um bocado entre uma linha e outra (muitas vezes entre uma palavra e outra), e penso que isso seria impossível com o audiolivro (sem hífen).
Mas entendo que, no carro, talvez seja até uma possibilidade interessante. Mas, como eu não tenho carro...
Você me deixou curioso sobre a literatura de Jane Austen (de quem sempre ouvi falar muito bem, mas da qual ainda não li nada). Vai para a minha lista.

Lys said...

Wagner, eu fiquei bastante surpresa com a forma pela qual me envolvi com essa forma de "leitura". Para o carro, pelo menos no meu caso, funcionou perfeitamente. E ainda que eu não tivesse carro, seria uma ótima opção também para o ônibus ou o metrô, já que eu passo muito, muito mal se tento ler em veículos em movimento.

As obras da Jane Austen eu amo, mas não sei se se encaixam no tipo de literatura que você apreciaria. Nelas há muita ironia e um maravilhoso senso de humor, mas há também um certo romantismo, o que os homens não costumam tolerar muito bem.

Wagner said...

O "romantismo" não seria problema algum no meu caso, Lys. Se fizer sentido segundo a história e não for escrito em linguagem demasiado floreada, penso que não me incomodaria. Agora fiquei ainda mais curioso em conhecer a autora: vai pra minha lista com certeza!

marcela said...

Ainda não encarei o audio livro. Mas pela Jane Austen eu faria isso. Já vi o filme mil vezes, li o livro umas duas ou três.
Beijos mil. Saudade daqui!

Anonymous said...

Puxa vida gente ! audiobook, audiolivro,livro narrado livro falado ... tanto faze!
Dica do dia : O site www.voolume.com.br
tem + 350 obras com "best-seller" " clássicos" etc ...nunca mais vou perde meu tempo no carro em SP ... Pense bem... depois de 7 anos quem contou uma hístorinha para você ? ;-)