Tuesday, December 26, 2006

Ho! Ho! Ho! Ho!

Ano que vem vou começar a comprar os presentes de Natal em outubro, que é para ver se dá tempo. Este ano eu podia deixar o povo sem presentes ou ir me irritar no shopping lotado em cima da hora – fiquei com a primeira opção, lógico. Só comprei mesmo o presente do meu amigo oculto da família porque não dava para chegar com as mãos abanando.

E tem mais: não vesti roupa nova. Às dez horas do dia 24, abri as portas do guarda-roupa e achei lá, meio escondido, um vestido que eu já tinha até esquecido que existia. Falei, “É você mesmo, querido. Vamos sair." Sandalhinhas, as rasas. Não fiz as unhas. No cabelo preso, gel. Maquiagem, só gloss. Mesmo assim, estava me sentindo ótima. Minha ceia foi na casa da minha avó (que morreu em junho, mas a casa será sempre dela).

No dia 25, teve almoço na minha casa. Eram 44 pessoas, imaginem. Me deu uma aflição incrível. Definitivamente não sou a melhor anfitriã, talvez precise admitir que nem gosto muito de visitas. O bom mesmo foi ver a piscina, normalmente às moscas, sendo aproveitada pelas crianças que brincaram na água a tarde inteira.

E, por falar em crianças, Natal com elas é outra coisa. Agradeço ao pequeno príncipe mais esta: ver a festa pelos olhinhos brilhantes dele. As luzinhas, a árvore, o sorriso - que deixava à mostra os dois únicos dentinhos - ao receber os presentes que ele logo preteria em favor dos papéis de embrulho rasgado.

Tem gente que fica melancólica no Natal. Eu não. Tenho minhas restrições, mas para mim é a melhor festa do calendário. O duro mesmo é agüentar Reveillon, mas, se não se pode fugir, que venha!

4 comments:

Carla said...

Ai, ai, ai. Foram por agua abaixo todas as coisas em comum que temos...hehehe. Eu nao sou muito fa de Natal mas ADORO reveillon. Adoro celebrar o novo, o recomeco. Fora que eu sou mais de festao na praia do que festinha em casa, ne?
Pena que esse ano nao tenha festao na praia. Mas eu gosto assim mesmo.
Feliz Ano Novo pra voce, querida. Que 2007 venha quente!!!! Beijos.

Wagner said...

E, como você e a Carla já sabem, eu detesto as duas "festas". Não fico melancólico, fico furioso mesmo (algo que não saberia explicar — talvez porque eu não precise entender...)
Lys, 44 pessoas!!!! Eu não teria suportado! Estou perplexo! Eu mal agüentei meu irmão, a mulher, a filha e o cachorro deles!... Você é uma espécie de "heroína", pelo menos para mim.
Agora só falta passar o tal de Ano Novo... ai, ai, ai.

p.s. morar "extramuros" significa estar longe de tudo (e não ter carro, claro), principalmente quando a condução não é lá grandes coisas...

Marcela said...

Ai, estou precisando de crianças no meu natal. hehehe. Anyway, tb não comprei roupa nova. Peguei uma lá no fundo do armário e fui toda feliz e contente para a ceia. Mas devo confessar que continuo nao gostando de natal. Quem sabe um dia?

Beijos e feliz 2007

Lys said...

Carla, é que eu sou mais de festinha em casa do que de festão seja lá onde for. Aglomerações: tô fora!

Wagner, dei risada com seu "fico furioso mesmo"! Fiquei imaginando!

As 44 pessoas eu nem sei como suportei. Gosto demais de todas elas, mas juntas deixam o nível de estresse mais alto do eu consigo suportar. O curioso é que minha casa vem se firmando como "o lugar" para recepções de família, depois que minha avó morreu. Não sei como isso aconteceu e ainda não estou certa de que gosto. Mas não dá para fugir, não moro mais extramuros. ;)

Marcela, tenho certeza de que, quando houver crianças na sua vida, sejam elas suas ou de alguém próximo, você vai começar a ver o Natal com outros olhos; a gente lembra dos velhos tempos, quando achar um presente embaixo da árvore era o suficiente para encher o peito de alegria.

Que você todos tenham um 2007 de saúde e conquistas.

Um beijo muito carinhoso!
Lys