Wednesday, April 18, 2007

Novelo

No emaranhado das relações, é estranho como os laços estabelecidos vão se deformando, uns se transformando em nós, outros se desfazendo em fios soltos, desamarrados. Trinta e sete anos tecendo e destecendo, e ainda cometo os maiores erros: amarro o que não quero e desato o que não devia.

4 comments:

Daniele said...

Que post mais lindo! Suas metáforas são sempre um bocado de poesia.
Eu sou triste..., saio destecendo tudo. Me falta aprender a viver.

Lys said...

Daniele, engraçado você ter tocado justamente no assunto "metáforas". Quando eu acabei de publicar isso, a primeira coisa que pensei foi como eu sempre recorro a metáforas para expressar meu sentimentos mais profundos, embora não faça isso de forma consciente; quando dou por mim, já foi. Sou tão incapaz de ser direta que me canso só de pensar nos porquês.

E a quem não falta aprender a viver, heim? Cada um tem suas áreas de conflito. A minha e a sua são, entre outras, os relacionamentos. Eu queria mesmo conseguir ser boa nisso - ia me poupar muito sofrimento e inimizades.

Wagner said...

Realmente, muito interessante as metáforas que você utiliza. Porém, no caso de relacionamentos, essa "tapeçaria" é tramada quase sempre de forma conjunta, o que talvez explique alguns fios soltos ou determinados nós...

Lys said...

Wagner, eu até concordo que a "tapeçaria" é tramada de forma conjunta, mas é inegável que algumas pessoas têm mais habilidade que outras, é só olhar a vida de cada uma. A não ser, é claro, que eu tenha o azar de só encontrar parcerias ruins de trama, o que eu não acredito. Assumo aqui minha responsabilidade. Mea culpa.