Tuesday, November 07, 2006

Na encruzilhada

A questão é: estou sofrendo auto-censura desde que me dei conta de que conhecidos poderiam chegar aqui e ler o que eu escrevo. Este blog ultra-secreto é um diário umbiguista e não me serviria para nada mais. Se eu não puder escrever sobre os meus vizinhos estranhos, as travessuras dos meus cachorros, os meus ataques de frescura, vou escrever sobre o quê? Tratados de filosofia? Análises políticas sobre os conflitos no Oriente Médio? Crônicas de futebol? Críticas musicais? Como, se eu não tenho interesse nem competência para isso?

Eu quero minha liberdade de expressão de volta!

5 comments:

carla said...

Relaxa, menina. Se alguem te descobrir voce fecha as portas e abre em outro canto, com nova identidade. Nos vai tudinho com voce, nao se preocupe. Mas nao fica se martirizando nao, viu? Assim nao vale a pena, ne?

Fezoca said...

tenho esse mesmo pobrema... ;-)
muita gente conhecida me lê e eu to ficando sem ideias de escritos sonsos para o Chatterbox...
beijos!

Lys said...

É, Carla, não vale a pena mesmo. Mas eu não gostaria de mudar de lugar de novo. Mudar o nome do blog, então, nem pensar, tenho apego. Vou levando do jeito que der. Esperar a poeira baixar - talvez seja essa a melhor tática.

O bom, Fer, é que aqueles que estão fisicamente próximos de você e que podem fornecer um material de peso para você escrever não lêem em Português. No meu caso, não tenho saída a não ser falar sobre o que não me interessa de verdade

Carol said...

Nem me fale, já passamos vontade de escrever algumas boas coisas por receio de quem fosse ler, ainda mais quando é certo que leriam. Mãs.
A poeira sempre baixa, se acarmeje. E se, por um acaso, a senhorita mudar de endereço, nome e identidade, pelamor, não esqueça de nos avisar, sabe.
Besos.

rosangela said...

Lys, pois é... Este dilema existe pra mim desde que eu tinha 12 anos e escrevia meus diários íntimos em um caderno bem comum. Depois que descobri que minha irmã lia o dito cujo e tinha uma prima que dizia quando eu terminava de escrever: eu também escrevi, "leia o meu que eu leio o seu." Pra continuar escrevendo, o que queria muito, mudei o meu jeito de escrever. Acredito que está questão está no cerne do pensamento de todo mundo que escreve. E não só na net. E cada um resolve lá da sua maneira.

Não para de escrever não. :}